Record demite e não vai parar por aí

Do Sindicato dos Radialistas de São Paulo

Na quinta-feira (11), após o Carnaval, a Rede Record demitiu 65 auxiliares de UPE e 3 técnicos de externas. Além disso, diversos funcionários das produções foram dispensados durante o mês de janeiro.

O caso dos auxiliares de UPE, acaba com o setor na sede da capital e caracteriza demissão em massa. Isso aconteceu logo após uma reestruturação do setor de externas, que modificou a nomenclatura e o registro em Carteira de Trabalho dos Operadores de Câmera de UPE para Repórteres Cinematográficos e retirou esses profissionais da regulamentação da Lei do Radialista.
Existem denúncias de que os motoristas substituirão esses auxiliares de UPE, o que é uma irregularidade, já que se trata de uma função regulamentada.
Ao que parece, os casos se completam na intenção da emissora em cortar custos, se valendo da precarização de postos de trabalho. Possivelmente “os cortes” continuaram a ser feitos pela empresa.
Para realizar o comunicado de demissão aos auxiliares de UPE, a emissora convocou uma reunião. Os dirigentes sindicais na emissora, informados da situação, tentaram participar dessa reunião, no entanto, foram proibidos pelos representantes da empresa. Para piorar a situação, no dia seguinte, esses dirigentes receberam uma carta de “Suspensão de contrato de trabalho”, onde a empresa alega falta grave por parte dos dirigentes. Este é mais um ataque aos trabalhadores e a entidade sindical, por isso, é necessário que os trabalhadores se coloquem ao lado daqueles que os representam.
Outros casos de demissão em massa
No estado do Rio de Janeiro, o RECNOV, para gravações de novelas, foi fechado e cerca de 700 trabalhadores foram demitidos. Na Record Internacional, durante todo o ano de 2015, foram dispensados por volta de 76 trabalhadores e hoje restam apenas 20 para dar conta do trabalho.
Em março de 2015 a emissora dispensou todos os trabalhadores do setor maquinária que não possuíam algum tipo de estabilidade e terceirizaram o setor. O setor de externas de produções também foi terceirizado. Essas ações são ilegais, já que as funções são consideradas atividades-fim, e pela lei vigente não podem ser terceirizadas.
Existem ainda outros exemplos de terceirização na emissora, como a produção do A Fazenda, que já é realizado por uma produtora externa. Há rumores ainda que mais programas serão terceirizados, estão nessa lista: Domingo Show, Legendários, Programa da Sabrina e A Hora do Faro. Por isso, está em andamento um processo de denúncia na Justiça do Trabalho realizada pelo Sindicato, sobre as terceirizações na Rede Record.
Mudança de carga horária
Chegou ao conhecimento do Sindicato que Iluminadores e Operadores de áudio de externa terão sua carga horária ampliada. A jornada de trabalho dos Radialistas deve ser de 36 horas semanais, que neste caso, não será obedecida. Eles realizarão diariamente uma carga horária de 8 horas e 12 minutos, o que representa 41 horas semanais. O Sindicato tomará as medidas necessárias para que isso não aconteça.
Esses desrespeitos a nossa categoria não podem continuar, os trabalhadores precisam dizer um basta a essa arbitrariedade dos patrões em demitir em massa, obrigando trabalhadores a acumular funções sem serem remunerados por essas atividade e precarizar postos de trabalho.
O Sindicato continuará a combater todas as irregularidades com denúncias nos órgãos públicos. E reafirmamos que a única maneira de cessar estes ataques a nossa profissão é a unidade dos trabalhadores, pois os patrões só nos respeitarão se nós mesmos nos respeitarmos. Temos a consciência que está nas nossas mãos alcançarmos melhores condições de trabalho, com respeito à legislação e às pessoas. Não podemos esperar que outros façam por nós essa luta, temos o dever de realizá-la .
Nenhum direito a menos! Avançar rumo a novas conquistas!

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA