Fitert e sindicato continuam acompanhando caso da Rádio Tupi no Rio de Janeiro

A situação alarmante dos trabalhadores da Rádio Tupi se instalou no final do ano de 2015, quando a empresa começou a atrasar os pagamentos de salário e deixou de realizar o pagamento do 13°. Até o momento, o sindicato dos radialistas está com 5 processos correndo contra a emissora devido ao não pagamento de FGTS, atrasos de salários e não cumprimento de CCT (Convenção Coletiva de Trabalho).

Diante da situação, os funcionários estão em greve desde 24/12/2016 e agora aguardam o parecer da audiência de conciliação intermediada pelo Ministério Público do Trabalho, na Seção Especializada em Dissídios Coletivos (Sedic) do TRT/RJ. A Fitert e o Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro estiveram presentes no dia 16 (segunda-feira) e esperam uma solução para os problemas enfrentados pelos trabalhadores nos últimos anos.

José Antônio, coordenador geral, reforça o trabalho da federação: “Nós estamos acompanhando o movimento diariamente através da nossa assessoria e da companheira Andrea [Bússulo] e agora começamos a entrar mais a fundo na luta, inclusive com ajuda estrutural para o sindicato, além de ter participado da última audiência de conciliação no TRT do Rio de Janeiro”.

O coordenador também afirma que a Fitert colocou seu departamento jurídico à disposição do sindicato, caso o processo chegue a se estabelecer como uma ação mais ampla no Tribunal Superior do Trabalho e garantiu que o acompanhamento continua sendo feito de perto e, a partir das decisões dos trabalhadores, será garantido os direitos de todos, fazendo com que a Rádio Tupi cumpra com suas obrigações mínimas determinadas pela lei.

Fonte: Da redação.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA