Dia Nacional de Luta Contra a Reforma da Previdência leva população as ruas em todo o Brasil

Durante todo o ano de 2017 e agora no início de 2018, o governo golpista da Michel Temer teve gastos exorbitantes com propagandas pró-Reforma que passavam mensagens enganosas sobre os verdadeiros motivos das mudanças que querem realizar.

Agora, após até mesmo o Carnaval ter realizado duras críticas a situação política do país, Temer e sua cúpula tentam mudar o foco dos escândalos de seu governo e das tentativas falhas de emplacar o projeto da Reforma da Previdência, ao decretar intervenção federal na segurança pública no estado do Rio de Janeiro através das Forças Armadas Brasileiras.

Mas nesta segunda-feira (19), trabalhadoras e trabalhadores de todos os lugares do país tomaram as ruas para defender o direito à aposentadoria. Com manifestações e paralisações em diversos estados, a população mostrou que não permitirá que seus direitos sejam atacados pelo governo ilegítimo de Michel Temer.

Só na capital do estado de São Paulo, mais de 20 mil pessoas ocuparam a Avenida Paulista. Nos demais estados, como Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Brasília, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Sergipe também ocorreram grandes manifestações.

Como resultado da luta das trabalhadoras e dos trabalhadores, no final do dia o presidente do Congresso Nacional, Eunício Oliveira (MDB-CE), determinou a suspensão da tramitação de todas as propostas de emenda à Constituição (PEC) pelo tempo que vigorar o decreto de intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro – previsto até dezembro. Tal medida atinge mais de 190 propostas em andamento na Casa, entre elas a reforma da Previdência.

Para a Fitert, a resistência e a mobilização expressadas por cada brasileira e brasileiro que foram as ruas defender seu direito à aposentadoria foi fundamental para pressionar os parlamentares e mostrar que enquanto houver ataques, haverá luta por parte dos trabalhadores. Por isso, é de grande importância que a população se mantenha vigilante e pronta para voltar as ruas quando necessário. Não a reforma da Previdência! Fora Temer!

Fonte: Da redação, com informações da CUT Nacional.

Imagem: Mídia Ninja.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA