Fitert participou do Fórum Social das Resistências, em Porto Alegre

A Fitert, na figura do secretário de registro profissional, José Henrique Rodrigues, juntamente com os diretores do Sindicato dos Radialistas do RS, Dino Gatts e Silvoney Benfica, participou do Fórum Social das Resistência realizado em Porto Alegre, de 17 a 21 janeiro, que teve como tema central “a democracia e os direitos dos povos e do planeta”, e foi pensado para compartilhar experiências, criar pontos de contatos e pensar formas de unir e agregar forças para o enfrentamento da forte ofensiva conservadora em curso no país.

Na terça-feira, 17, foi realizada a marcha de abertura do Fórum, pela resistência diante das reformas previdenciária e trabalhista almejadas pelo presidente golpista, Michel Temer (PMDB). Na ocasião, ativistas de movimentos feministas, indígenas, do movimento de igualdade racial, centrais sindicais e estudantes partiram do Largo Glênio Peres até o largo Zumbi dos Palmares.  Os manifestantes caminharam pela avenida Borges de Medeiros, entoando cantos e segurando cartazes, atrás de uma bateria de escola de samba e um carro de som no qual lideranças de várias organizações fizeram suas falas.

Um grupo de sindicalistas, ligados principalmente à Central Única de Trabalhadores (CUT) e à Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), segurava uma faixa com os dizeres: “Resistência contra as mudanças na CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas)”. O presidente gaúcho da CUT, Claudir Nespolo, afirmou que o Fórum de 2017 é “o momento de lutar contra os ataques do governo Temer e sua base no Congresso Nacional aos direitos sociais, trabalhistas e previdenciários”.

Este Fórum teve abrangência em âmbito das dinâmicas e metodologias horizontais que caracterizam os processos do Fórum Social e pretende contribuir com a dinâmica de renovação e ampliação do próprio Fórum Social Mundial, em defesa das lutas e resistências no Brasil, na América Latina e no Mundo.

O secretário e os diretores do sindicato do Rio Grande do Sul também participaram da plenária dos atingidos pelo governo Sartori, do RS, em defesa do trabalho, dos direitos e do patrimônio público, a qual levou o debate sobre a extinção da fundação Piratini (TVE e Rádio Cultura) – medida repudiada por todo o movimento sindical gaúcho e pelo movimento pela democratização da comunicação em todo o país.

José Henrique enfatiza que, “assim como no Fórum passado, que também participei, tirei muito aprendizado e foi muito proveitosa a participação”

2 comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA