Fitert realiza Plenária Nacional Estatutária e de Registro Profissional para discutir o futuro dos radialistas

A Plenária de Registro Profissional e Estatutária da Fitert: em defesa da valorização profissional aconteceu nos dias 20 a 22 de julho de 2016 no auditório do Hotel Kubistchek Plaza, em Brasília.

Além das propostas de mudanças do Estatuto da entidade e a discussão sobre Registro Profissional, a Plenária foi idealizada para discutir a conjuntura atual e os desafios futuros que exigirão ainda mais do que já a Federação já foi capaz de realizar, como ressaltou José Antônio, coordenador geral da Fitert, na abertura do evento. O momento atual exige capacidade política para construir a unidade na luta cotidiana com o conjunto dos sindicatos filiados e dos trabalhadores.

Os sindicatos da Fitert compreendem que é preciso intensificar as denúncias sobre este governo ilegítimo que prioriza os grandes grupos econômicos. Esse governo tem a clara intenção de tirar diretos dos trabalhadores e já mostrou seu desejo de retirar diretos sociais das classes mais necessitadas. Ele também sofre um desgaste imensurável por envolvimento em corrupção em todos os níveis. Definitivamente, o governo Temer, o governo do golpe não representa os trabalhadores em comunicação no Brasil.

Os radialistas de 20 estados da Federação e do Distrito Federal se reuniram durante 3 dias para discutir o Decreto Regulamentador da Profissão, com o objetivo de fortalecer a luta dos trabalhadores diante das mudanças e adequações no setor, tendo em vista o crescimento assustador e inevitável das inovações tecnológicas em nível nacional; também para debater e atuar na legislação que regulamenta a profissão da categoria em nível nacional, se aprimorando as modificações dos avanços tecnológicas no mundo; e, por fim, para elaborar e aprovar formas para o encaminhamento da concessão do registro profissional unificado em todo o território nacional, em conformidade com a legislação vigente. Essa plenária também discutiu e aprovou modificações no Estatuto da Fitert, transformando-o num instrumento mais democrático e aberto à todas as entidades filiadas.

Foi aprovado que a partir das próximas eleições os membros da Executiva Nacional da Fitert são delegados natos dos congressos e plenárias, mas para serem votados terão que ser indicados pelas bases, ou seja, através de assembleias, plenária do sindicato e/ou congresso. Ainda foi aprovada a volta das eleições proporcionais, que dão direito a chapa derrotada dentro do processo eleitoral a indicar membros para compor a direção (desde que atinjam um coeficiente acima de 30% dos votos). Por último, foi aprovada a inclusão de duas novas secretarias à Federação: Assuntos Jurídicos e Juventude. A partir das próximas eleições todas as secretarias terão o secretário adjunto para contribuir na gestão sindical da entidade.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA