Sinterp/BA participa de protestos durante Greve Geral com faixas em frente à Rede Bahia

O SINTERP/BA participou da Greve Geral desta segunda-feira (19/02) protestando em frente à TV Bahia com faixas e bandeiras, que diziam “A Comunicação não pode ser a Justiça do país”; “A imprensa se tornou o maior partido político do país” e “Um tal de Tuca, um tal de Botafogo e um tal de Moura, que respondem a processos, têm capacidade de criar reformas?”.

As faixas, com objetivo de questionar o que as TVs vêm fazendo no Brasil, com uma propaganda política velada contra o pensamento de esquerda e provavelmente financiadas pelos grandes conglomerados nacionais e internacionais, tiveram grande repercussão. Também questionavam os políticos, através de seus codinomes nas operações ligadas à corrupção e a imoral participação deles no destino do país através da criação de reformas e a do apoio na Câmara. Os diretores do sindicato chegaram à emissora às 6h da manhã e ficaram até às 10h. Durante esse período surpreenderam vários trabalhadores da equipe de externa saindo para as atividades sem equipamentos de proteção (EPIs).

O coordenador da entidade de classe, Dimas Araújo, afirmou que os trabalhadores brasileiros já não têm emprego, estabilidade, segurança e não terão mais aposentadoria se essa reforma passar. “Não podemos deixar isso acontecer. Precisamos nos manifestar sem descanso, hoje e sempre. O governo sabe que não existe necessidade de fazer essa reforma. Se fosse necessário para ajudar o povo, eles não iam querer fazer”, lembrou.

Everaldo Monteiro, secretário de Finanças do SINTERP/BA disse que não precisa ser sindicalista, cutista ou petista para defender os direitos da população. “ Cada cidadão tem o dever de defender os seus direitos, lutando contra as reformas e contra este governo corrupto e ilegítimo que só faz enganar o povo. A greve é justa e é necessário aderir. Gostaríamos que os Radialistas também parassem”, explicou.

Os trabalhadores grevistas pararam desde 3h da manhã nas garagens de ônibus, como a Camurujipe, RCR, Novo Horizonte e Vix. Os rodoviários mostraram grande disposição para o movimento. O Polo Petroquímico foi bloqueado pela manhã, bem como as bases da Petrobras. As ruas do Iguatemi também ficaram paradas. As cidades de Juazeiro, Teixeira de Freitas, Camaçari, Feira de Santana, Itabuna, Itapetinga, Serrinha, Senhor do Bonfim e da Região Sisaleira aderiram fortemente à Greve.

Para Cedro Silva, presidente da CUT/BA, o saldo da Greve foi positivo. “A classe trabalhadora mostrou para o governo que não vai acreditar que a reforma da previdência vai acabar com privilégios. A reforma vai manter privilégios do governo. É um enorme engodo. Tivemos uma grande Greve na Bahia e no Brasil”, declarou.

Enquanto isso a reforma da previdência segue parada na Câmara. Os apoiadores do movimento vão encontrar-se às 15h na Praça do Campo da Pólvora para um grande ato.

Fonte: Sindicato dos Radialistas da Bahia.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA