Sindicato do Rio de Janeiro se reune com a diretoria da TV Alerj (Digilab)

Na tarde de hoje, dirigentes e advogados do nosso sindicato se reuniram com representantes da empresa Digilab, da “TV Alerj”. A conversa com a emissora responsável por cobrir todos os eventos da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro passou por diversos assuntos: jornada de trabalho, plano de saúde, auxílio alimentação, auxílio creche, adicional sobre aviso, e acúmulo de função. Confira abaixo o que foi dito sobre cada um.

Jornada de Trabalho

Advogados da empresa e do sindicato debateram sobre a legalidade ou não da compensação dos sábados. Esse assunto está relacionado ao intervalo intrajornada, porque os funcionários da Digilab têm 1 hora de intervalo além da 1 hora e 12 minutos de compensação diária. A empresa concordou em firmar um acordo coletivo com o sindicato para que a jornada de trabalho volte a ser de 7 horas e 12 minutos, com 15 minutos de descanso e sem trabalho aos sábados.

O Departamento jurídico do sindicato enviará uma minuta de acordo para a Digilab com os termos conversados. Assim, deve voltar a ser implementada a jornada de 7 horas e 12 minutos dentro do período máximo de um mês.

Plano de Saúde

A empresa alegou que continua a descontar o valor de 25% do plano de saúde. A justificativa, o plano mudou do Unimed para o Bradesco Seguros, a fim de melhorar a rede credenciada em benefício dos empregados.

Auxilio Alimentação

O sindicato questionou sobre o valor intermitente pago pela empresa como auxilio alimentação, uma vez que se supunha queda no valor do pagamento no ano de 2017. A empresa alegou que fornece o valor de R$16,00 por dia de trabalho, de forma que o valor seja sempre superior ao limite mínimo estabelecido em CCT e que não mudou a forma de pagamento nos últimos anos. O sindicato ficou de confirmar tais informações com os trabalhadores.

Auxilio Creche

Questionamos também sobre o corte do pagamento aos 7 funcionários homens que, até dezembro de 2016, recebiam esse reembolso. A empresa alegou que o corte foi feito por questões orçamentárias, onde o valor economizado foi investido na melhora do plano de saúde fornecido pela empresa. Além disso, também argumentaram que estaria havendo “mau uso” por parte dos funcionários. Alegaram, por exemplo, que já foram entregues recibos de táxi para justificar o reembolso do auxílio creche. O sindicato informou que vai conversar com os trabalhadores sobre o posicionamento da empresa. Mas reafirmamos o pleito: é direito desses 7 radialistas a manutenção do benefício de auxílio creche.

Adicional de Sobreaviso

Nossa equipe ressaltou que não existe regulamentação de sobreaviso, nem em nossa convenção, nem em lei específica. A empresa alegou que pratica o valor de 1/3 da hora trabalhada a cada dia em que há funcionários de sobreaviso. Essa prática seria em analogia a leis de outras profissões. Nosso departamento jurídico vai apurar as informações e conversar com os trabalhadores da empresa para entender os impactos reais dessa política para deles.

Acúmulo de Função

Nosso sindicato reafirmou que é necessário reavaliar os casos de acúmulos e desvios de funções na empresa. Ressaltamos que é preciso ver, caso a caso, tanto dos que já recebem quanto os que não receberam ainda o adicional e podem estar exercendo mais do que uma função. A empresa concordou em realizar reuniões ordinárias com o sindicato para averiguar as atividades dos radialistas em cada função.

Fonte: Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA