Justiça do Trabalho manda reintegrar Marcão Negrão em Sergipe

A Justiça do Trabalho mandou reintegrar o locutor-apresentador, programador de rádio e diretor do Sindicato de Sergipe, Marcão Negrão, ao quadro de funcionários da Rede Ilha de Comunicação (Ilha FM 102,3), em cumprimento a ação impetrada pelo Sindicato dos Radialistas de Sergipe, contestando as demissões arbitrárias dos radialistas, inclusive sindicalistas, junto ao Tribunal Regional do Trabalho, através da 2º Vara do Trabalho de Aracaju, garantindo-lhe estabilidade sindical.

No ar e na prática a Ilha FM não existe mais, porém a Rede Ilha de Comunicação Ltda. responde as ações impetradas pelos funcionários sindicalistas demitidos. Marcão Negrão é um dos cinco radialistas, que mesmo na condição de sindicalista haviam sido demitidos, juntamente com todo a equipe da Ilha FM Aracaju no mês de janeiro. As ações judicias na Justiça do Trabalho tiveram início no final do ano passado, quando a Rede Ilha “vendeu” as rádios de Estância, Propriá e Tobias Barreto. Todas as demissões foram provocadas por causa da negociação feita com Grupo Xodó, que hoje abriga todas as emissoras que pertenciam a Rede Ilha e ainda detém os direitos das rádios Xodó FM de Nossa Senhora da Glória e Nossa Senhora do Socorro e anuncia em mais duas emissoras que estarão no ar ainda este ano.

Este é o segundo deferimento em favor dos radialistas sindicalistas da Ilha FM, em ações que correm na 2º Vara do Trabalho, proferido pelo Juiz Titular do Trabalho, Guilherme Carvalheira Leal. Para analisar a situação de Marcão Nagrão, o juiz teve o mesmo entendimento do caso do radialista e sindicalista Toni Xocolate, que também havia sido demitido e foi reintegrado pelo mesmo magistrado no dia 1º de fevereiro. “[…] a antecipação dos efeitos da tutela para determinar a reintegração de MARCOS SOARES BRITO (Marcão Negrão) nos quadros da reclamada, nos mesmos moldes praticados, o que engloba a função, os salários, jornada e local de trabalho. Pena de multa diária de R$ 800,00 (oitocentos reais), limitada a R$ 40.000,00 (quarenta mil reais)”, atesta o magistrado em seu deferimento publicado na sexta-feira (02/09). Na manhã desta segunda-feira (5), a Rede Ilha de Comunicação foi notificada de mais esta decisão favorável aos radialistas.

O Sindicato dos Radialistas vem dando apoio jurídico aos funcionários da Rede Ilha que foram demitidos coletivamente no mês de janeiro e acompanhando estas e outras ações que correm na Justiça do Trabalho para garantir que os direitos dos trabalhadores em radiodifusão no estado de Sergipe sejam respeitados.

Fonte: Sindicado dos Radialistas do Estado de Sergipe

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA