GO: Avançam investigações sobre assassinato do radialista Jefferson Pureza

Segundo informações divulgadas pela Polícia Civil do Estado de Goiás, o inquérito que apura o caso do assassinato do radialista Jefferson Pureza Lopes, ocorrido em 17 de janeiro, na cidade de Edealina, já teve avanços.

Nessa quinta-feira (1º), dois adolescentes de 17 anos tidos como suspeitos da execução de Jefferson foram presos na cidade de Aragoiânia. O delegado Queops Barreto, responsável pelo caso, afirma que um dos apreendidos teria recebido R$ 5 mil para efetuar os disparos e ao outro teriam sido pagos R$ 2 mil para conduzir a motocicleta utilizada no crime.

Além disso, em 9 de fevereiro, o vereador José Eduardo Alves da Silva (PR-GO) foi preso como suspeito de mandante do assassinato. A Policia Civil afirma que o parlamentar planejou o crime por “questões políticas e pela vítima ter se relacionado com a mulher dele”, e que o mesmo confessou o planejamento de uma tentativa de assassinato do radialista no ano de 2017, frustrada na ocasião, e outra ainda este ano, mas que desistiu de dar continuidade na segunda. O caso continua aberto e as investigações seguem.

Mais uma vez a Fitert ressalta a importância de órgãos governamentais estabelecerem diálogo direto com as entidades representativas de radialistas, jornalistas e defensores dos direitos humanos para que as medidas já existentes no Brasil possam verdadeiramente proteger os trabalhadores e o direito humano à comunicação, evitando que casos como o de Jefferson Pureza e tantos outros comunicadores se repitam.

Para a democracia do país, é fundamental que o direito à liberdade de expressão e de imprensa sejam garantidos, preservando também os direitos dos trabalhadores da comunicação como um todo.

Fonte: Da redação, com informações da Polícia Civil de Goiás.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA