CCS terá nova composição na próxima segunda (17)

Neste dia 15 de julho (sábado), se encerra o mandato da atual composição do Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional, no qual os radialistas brasileiros e a Fitert têm como representante Nascimento Silva, secretário de imprensa da Federação.

O novo processo eleitoral para a renovação do Conselho, marcado para acontecer na próxima segunda-feira (17). Como nos anos anteriores, a Fitert tem dois nomes indicados para o próximo representante dos radialistas brasileiros e faz questão de se manifestar a respeito das demais indicações, especialmente as vagas voltadas para a sociedade civil.

Nomes como Patrícia Blanco, presidenta do Instituto Palavra Aberta, que tem como associados apenas empresas de comunicação – e entre seus sócios estão empresas do ramo publicitário, a Associação Nacional dos Jornais (ANJ), Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), a Associação Nacional de Editores de Revistas (Aner) e a Associação Brasileira de Agências de Publicidade (Abap) -, indicada pelo Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar); Fábio Augusto Andrade, diretor de relações institucionais do Grupo América Móvel (proprietário da Net, Claro e Embratel), indicado pela Presidência do Senado Federal; Ranieri Moacir Bertolli, presidente da Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert) e indicado pela mesma; e a Associação Comercial do Rio de Janeiro, para a suplência da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), estão entre aqueles que representam o empresariado e, portanto, não deveriam ocupar assentos destinados a população brasileira organizada.

Como uma das entidades que luta pelos trabalhadores, a Fitert defende o respeito à função primordial do CCS, que é a de auxiliar e fiscalizar o desenvolvimento e efetivação do ordenamento jurídico da comunicação no Brasil e deve, acima de tudo em sua composição ou todas as deliberações serão questionáveis, respeitar a Lei de criação do órgão (Lei Federal 8389/1991), no que concerne à participação da sociedade civil.

É necessário garantir verdadeira representação da população, para que o Conselho atue visando seguir os interesses da mesma, buscando uma comunicação informativa, voltada para os interesses sociais e realmente democrática.

Fonte: Da redação.

Foto: Agência Senado.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA